quarta-feira, 1 de abril de 2009

Una noche más




Ainda se lembram do primeiro post que pus...sim já vai quase 2 meses....o nome é "Strange kind of love"...comecei com isto numa mera "brincadeira" para "soltar" os pensamentos,as visões que tinha sobre alguns pontos de vista, uns que passei outros que observava na sociedade....
Strange kind of love.....será que isso existe? Já agora "What is love"? ou será que só pode existir 2 pontos extremos ou sim ou não....não podemos sentir um aperto no coração por alguém de quem gostamos...mas ao mesmo tempo pensamos será que será possível algo com essa pessoa? O que é um amor,paixão estranho? Será uma turbilhão de sentimentos dentro de nós... um aperto no coração mais forte do que o inesperado....algo que não conseguimos controlar,mas por um lado está a "comer-mos vivos" por dentro.Será bom ter este amor,paixão estranha dentro de nós até quando é que conseguimos ir tendo-a dentro de nós? Era bom que as coisas fossem simples uma caricia, um olhar penetrante bastava...uma noite as vezes chega para por fim a este amor/paixao estranha....mas por um lado será que queremos que ela desapareça? Como alguém me disse "Despedida de um passado presente".....será que é isso que queremos, ou queremos continuar a viver nesta ilusão, que acaba por não ser , mas sim de sentimentos.....ou teremos medo de voltar a sentir estas coisas......Será que para nos apaixonarmos temos que ser racionais? depois da fase de sentimentalista? Porque não deixar ir... se começamos como sentimentalista continuar a ir .....podemos nunca a vir a "encalhar" no rio e entrar mar fora...mas só o saberemos se embarcarmos no mesmo barco e começarmos a navegar....com o mesmo objectivo passar de "strange kind of love" para "love"......


1 comentário:

  1. Quando começamos a gostar de alguém, podemos começar a gostar porque esse alguém já gosta de nós, ou começamos a gostar isoladamente. Quanto a esta última situação acontece, não sentir um frio na barriga, sentir um arrepio no corpo cada vez que estamos com essa pessoa é quase uma missão impossível, uma sensação incontrolável, que assusta, mas que ao mesmo tempo é tão boa! O criar situações para estar com ela, fazer suspresas, às vezes loucuras a ela e por ela...É bom estar-se apaixonado, tão bom, que muitas vezes nos esquecemos de ver a realidade! A realidade que podemos não ser correspondidos da mesma maneira, a realidade que estamos a gostar mais do que esperariamos, a realidade de que é um sentimento só nosso!
    E aí, começam as nossas questões acerca de tudo, as nossas dúvidas, a nossa insegurança, o não saber como agir, o que falar! É o "será que ela gosta de mim?", "como faço para ela perceber o que sinto?" Queremos aquela pessoa por inteiro, queremos mostrar o amor que temos por ela, mas não queremos pôr em causa aquilo que existe entre ambos. Estou-me a referir, por exemplo, a uma amizade que existe e que por nada deste mundo queremos perder!

    Ninguém manda nos sentimentos, eles têm autonomia própria, apesar de algumas pessoas dizeres que controlam o que sentem! Não sei muito bem como, mas isso é outro assunto!

    Às vezes temos à nossa frente alguém que gosta de nós, que quer estar conosco, nos fazer feliz, mas muitas vezes, o ser humano tem uma tendência natural de complicar as coisas, ou seja, sabemos que aquela pessoa que esta ali à nossa frente gosta de nós e nós gostamos que ela goste, mas por receio, por dúvidas, por se questionar demais, não deixamos que ela avance! É amar mas ter medo de amar, é querer mas ter medo de querer, é desejar mas ter medo de desejar... O Homem é mesmo um bicho complicado!!

    Colocas uma questão quanto ao amar de uma forma racional ou sentimental. Alguém consegue amar racionalmente? Eu confesso que não consigo! É claro que tem que haver um equilibrio, há situações específicas que temos que agir mais com a cabeça que com o coração, mas o que é fazer uma loucura pela pessoa que amamos? O que é oferecer um jantar romântico? O que é querer fazer quem amamos feliz? É ser racional? (só se tiver algum interesse por trás dessas atitudes, que não simplesmente amar) ou é ser sentimental, com tudo o que isso implica: amor, carinho, ternura, respeito, vontade de amar a pessoa como um todo?

    Amor é estranho, quando queremos e não lutamos, quando amamos e não mostramos, quando sofremos por não dizermos o que sentimos, mas mesmo assim, continuamos a amar!

    ResponderEliminar