quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

If You Don't Know Me By Now

If You Don't Know Me By Now.......será que todos nós conhecemos as 100% a outra pessoa com quem estamos ou gostaríamos de estar? Melhor será que nos conhecemos a nós próprios a 100% ? Acho que não , posso estar errado neste ponto de vista....se o tiver e provarem o contrario , eu próprio assumo isso. Como em tudo ninguém sabe de tudo e se estamos errados , há que saber dar o braço a torcer e aceitar isso.
O conhecimento de nós próprios e de conhecer a outra pessoa, é um conhecimento diário, dia após dia. E isso é que torna o interessante na vida , o conhecimento pelo outro....saber o surpreender,seja amigo ,um familiar , um casal com qualquer tipo de relacionamento, tanto faz para o caso.
Qual seria a piada se conhecermos a outra pessoa a 100% ? Não digo que não devemos conhecer uma grande parte dela, é claro que devemos, mas também é bom não conhecer para ir-mos conhecendo.
Porque se conhecer-mos não havia nunca tema entre duas pessoas para alem do "banal" há que haver sempre temas entre duas pessoas e mais saber como agradar a outra pessoa.Nem que seja com algo que aparentemente seja insignificante , mas se vir-mos bem pode-se tornar algo grande.
Todos nós temos os nossos ideais da vida , a nossa maneira de ser , os nossos valores .Há que saber respeitar isso, porque na vida isso é o mais importante de tudo..........


4 comentários:

  1. Bom,bom...Hum...Conhecermos alguém realmente? Isso nunca será possivel,porque como tu bem dizes,nós não nos conhecemos a nós próprios a 100%,quanto mais a outra pessoa.
    Agora se tu não te conheces a 100%,essa pessoa também não se conhece a sim mesma.
    O conhecermo-nos e conhecermos os outros a 100% leva uma vida inteira,até porque nós vamos-nos descobrindo ao longo da nossa vida,com o que nos acontece,com o que nos passa pela frente.
    Dependedo do tipo de situações e de pessoas que nos passam na vida que nos vão fazer uma coisa e não outra.
    A vida é isso mesmo,é a descoberta de nós,por nós e muitas das vezes pelo que vivemos com outros,sejam eles o que forem e a importância que tenham na nossa vida.
    Mas também é muito mais giro,interessante,
    estimulante,desafiante,até não conheceres as pessoas a 100%,porque assim interessas-te sempre em querer saber mais e mais dessa pessoa,se realmente essa pessoa te interessar como amigo ou noutro plano.
    Em relação a outra pessoa a mesma coisa.
    Há que haver um pouco de mistério.
    Mas em tudo na vida.
    Mas esse mistério só vale a pena ser desvendado se o quiseres,se sentires ou que auqela pesoa te interessa como amiga/o ou como amante,ou como a pessoa com quem queres partilhar o resto da tua vida.

    Na realidade levamos a nossa vida a tentar conhecermo-nos e aos outros.

    Beijocas e fica bem.

    ResponderEliminar
  2. Ninguém se conhece tão bem a si próprio como a própria pessoa, mas será que se conhece mesmo?! Às vezes temos aqueles desabafos: "não acredito no que estou a fazer, já nem me reconheço" Será que alguma vez se chegou a conhecer?
    A vida é uma constante aprendizagem, muitos são os obstáculos que ela nos impõe e como tal temos que nos ir adaptando, contornando esses obstáculos. Não podemos ter um comportamento linear, certo, porque não é assim que funciona! A vida é uma eterna descoberta, assim como nós o somos para nós mesmos! Como alguém me dizia, "estou casada há 50 anos e ainda estou a descobrir e a conhecer coisas do meu marido"

    Este tema faz-me lembrar um filósofo, Sócrates, numa obra sua "Conhece-te a ti mesmo"
    A título de exemplo desta máxima Socrática, e pegando no acto educativo podemos dizer: "se eu quiser que os meus alunos se tornem verdadeiros aprendizes e sujeitos activos do/no acto pedagógico e do saber, tenho que me tornar num facilitador das suas aprendizagens. Ora para desempenhar esse papel de forma bem consciente, não posso deixar de ter aprendido claramente as motivações, formas, processos e resultados das minhas próprias aprendizagens. Só este caminho de mim até mim possibilita, depois, o caminho de mim até aos outros. O diálogo interpessoal de mim com os outros - no nosso caso, com os alunos - vai implicar que todo o trabalho que se vai projectando respeite a construção da pessoalidade e da identidade próprias, minha e dos alunos. Acima de tudo, o professor assumirá o compromisso de acompanhar a evolução pessoal e o projecto de vida dos alunos. Nesta perspectiva, ensinar consiste em aprender a conhecer quem é, o que necessita, o outro. Desta forma, o professor institui-se como aprendiz, de si e do outro, de si para o outro"

    Como podemos conhecer o outro sem nos conhecermos a nós próprios? Podemos é encontrar no outro, características semelhantes às nossas, o que nos permite saber lidar melhor com essa pessoa, e o contrário também, a outra pessoa vai-se permitir dar a conhecer!

    Agora para pensar um bocadinho:

    Sócrates — agora, qual será a arte pela qual poderíamos nos preocupar conosco?

    Alcibíades — Isto eu ignoro.

    Sócrates — Em todo o caso, estamos de acordo num ponto: não é pela arte que nos permita melhorar algo do que nos pertence, mas pela que faculte uma melhoria de nós mesmos.

    Alcibíades — Tens razão.

    Sócrates — Por outro lado, acaso poderíamos reconhecer a arte que aperfeiçoa os calçados, se não soubéssemos em que consiste um calçado?

    Alcibíades — Impossível.

    Sócrates — Ou que arte melhora os anéis, se não soubéssemos o que é um anel?

    Alcibíades — Não, isto não é possível.

    Sócrates — Entretanto, será fácil conhecer-se a si mesmo? E teria sido um homem ordinário aquele que colocou este preceito no templo de Pytho? Ou trata-se, pelo contrário, de uma tarefa ingrata que não está ao alcance de todos?

    Alcibíades — Quanto a mim, Sócrates, julguei muitas vezes que estivesse ao alcance de todos, mas algumas vezes também que ela é muito difícil.

    Sócrates — Que seja fácil ou não, Alcibíades, estamos sempre em presença do fato seguinte: somente conhecendo-nos é que podemos conhecer a maneira de nos preocupar connosco; sem isto, não o podemos.

    Alcibíades — É muito justo.

    Platão, Alcibíades, 128d-129

    ResponderEliminar
  3. Concordo contigo absolutamente! O mistério...a descoberta....a revelação.....é muito importante em tudo! Daí que este mundo da net...seja aliciante....porquê? porque tem algo de misterioso...de descoberta....de revelações mirabolantes....que fazem com que os que aqui andam...voltem....e quando já sabemos muito...? perde-se o interesse...! porquê? porque se quer mais mistério...queremos ser detectives de nós mesmos....descobrir outras facetas...até então desconhecidas e nunca reveladas....e que vamos descobrimos dia após dia..umas agradáveis..outras menos...as quais em certa medida servem para nos tornarmos diferentes....melhores..ou piores...depende do que pensa quem nos rodeia...da forma de ver ou estar dos que nos rodeiam...e é isso que nos torna seres únicos...iguais a si próprios...

    ResponderEliminar
  4. O que é o conhecimento humano?
    No decorrer do dia a dia vamos convivendo com as pessoas achando que as conhecemos e a maior parte das vezes surpreendem-nos pois conseguem fazer coisas que achariamos impensáveis e nunca estariamos à espera que essa atitude viesse daquele "lado".....como é possível que ao fim de 11 anos de convivência me pudesse vir a surpreender tanto pela negativa?
    O ser humano acha-se superior pois sente que se conhece a 100%...
    Eu sou! Eu posso! Eu mando!
    Frases mais banais que se ouve no dia a dia...
    Será que é mesmo?
    Será que existe um conhecimento de si próprio para poder dizer isso?
    Que tal as expressões:
    Talvez seja!
    Talvez consiga!
    Será que estou a tomar a atitude correcta?
    Contra mim falo pois quantas vezes já usei as expressões como: Eu sou! Sou capaz!
    Mas acabo por chegar à conclusão que quando utilizo essas expressões acaba por ser um meio de me iludir em como me conheço mt bem,porque acabo por ter a noção que o mundo não gira à volta do "Eu!"
    Assim tento utilizar a expressão: será que sou?
    A descoberta do conhecimento é algo que vamos obtendo no decorrer da vida e acaba por ser dos maiores desafios que poderemos enfrentar.
    Há pessoas por se acharem superiores pensam que sabem tudo....a essas pessoas dou-lhes os meus parabéns pela imbecibilidade que conquistaram....
    Aos outros digo...continuem!
    Toda a gente tem algo para descobrir....
    Principalmente sobre si próprio....não se pode pensar porque será que aquela pessoas fez isto ou aquilo sem primeiro pensar será que também o faria? e porque o faria?

    ResponderEliminar